GOSPEL TIMES

Seguir

Igreja pede fechamento de Igrejas pentecostais no Camarões

Há pedidos para o governo de Camarões fechar algumas das igrejas pentecostais do país. Isto é baseado em relatos de um pastor que roubou de sua congregação e outro que supostamente engravidou sete mulheres.
As igrejas protestantes, batistas e católicas de Camarões estão pedindo ao governo que feche algumas igrejas pentecostais do país após relatos de comportamento antiético e criminoso por parte de vários pastores.

Alega-se que um pastor pentecostal engravidou sete mulheres em sua congregação. Acredita-se que outro pastor, agora procurado pela Interpol, tenha fugido de Camarões depois de desviar mais de US $ 500 mil (€ 407,3 mil) de seus seguidores.

As preocupações sobre a igreja pentecostal e seus métodos não são novas em Camarões. Em agosto de 2013, o Presidente Paul Biya ordenou que mais de 100 igrejas fossem fechadas com base em práticas criminosas organizadas por pastores pentecostais. Foi alegado que os pastores estavam se aproveitando de pessoas pobres e desesperadas. Apesar da repressão do governo, e o fato de que nenhuma nova igreja foi aprovada pelas autoridades camaronesas desde então, igrejas não autorizadas continuaram a surgir.

Ramo de crescimento mais rápido do cristianismo

De acordo com a pesquisa do Centro Pulitzer sobre Pentecostalismo, é a religião que mais cresce no mundo e um quarto dos dois bilhões de cristãos do mundo agora pertencem a essa denominação cristã. E em nenhum lugar está crescendo mais rápido do que na África Subsaariana.

"Os cristãos pentecostais enfatizam uma experiência pessoal direta de Deus e acreditam que o Espírito Santo age aqui e agora para trazer inspiração, saúde e riqueza aos fiéis", informa o Centro Pulitzer. Para muitos na África Subsaariana, que podem estar lutando contra a pobreza, o HIV ou o desemprego, as promessas da igreja se mostram difíceis de resistir.

O antropólogo e professor Asonzeh Ukan escreveu extensivamente sobre a igreja Pentecostal na vizinha Nigéria, onde é conhecida como a Igreja Redimida. Ele descreveu a atração desse tipo de pregação: "A função primordial da Redimida é uma indústria que o mercado espera ... Em toda sociedade, há pessoas que precisam ser encorajadas a permanecerem vivas para o dia seguinte. A redenção faz isso".

Vítimas da igreja

Na catedral católica na capital de Camarões, Yaounde, a congregação está recebendo de volta Dufe Clarisse, que está retornando ao catolicismo depois de um ano como membro da igreja Pentecostal de Yaounde, a Misericórdia de Deus. Ela foi apresentada ao pentecostalismo por um amigo, que disse que o pastor nigeriano da Misericórdia de Deus havia orado por ela, o que resultou em ela conseguir um emprego.

Mas a experiência de Clarisse como pentecostal estava longe de ser positiva e ela está grávida de quatro meses pelo pastor. "O pastor continuou insistindo que a única maneira que eu teria um avanço em minha vida seria estar com ele. Ele disse que Deus havia dito a ele que quando nós dormirmos [juntos] por nove dias em três semanas, eu terei um marido, riqueza e depois viajar para a Europa. Ele pediu-me para não contar a ninguém até que a profecia se cumprisse. Desde que eu estava em necessidade, eu confiei nele. Ele até disse que Deus havia revelado a ele que eu era para ser sua esposa e que nós iamos criar um ministério em Frankfurt, na Alemanha. "

Clarisse decidiu quebrar seu silêncio e disse a outros membros da igreja que ela estava grávida. Três mulheres casadas e duas meninas, que eram irmãs, disseram que tiveram a mesma experiência.

"Foi somente após o incidente que descobrimos que ele estava contando a cada uma a mesma história. Mas a maioria de suas vítimas eram mulheres casadas em busca de bebês. Ele disse que elas só teriam sucesso em sua cama como revelado por Deus a ele. Eu tenho certeza que aquele homem tinha alguns poderes mágicos. Ninguém sabe onde ele está agora ", disse Clarisse.

Outros países estão tomando medidas

No mês passado, em Ruanda, o governo fechou mais de 700 igrejas, em sua maioria pentecostais, alegando que eram anti-higiênicas, inseguras e perturbadoras da paz pública. Muitos pastores começaram a pregar através de megafones. Mas Phil Clark, da SOAS, Universidade de Londres, acredita que havia outras razões por trás dos encerramentos também.

"O pentecostalismo está crescendo exponencialmente lá", disse Clark à DW. "O fechamento de igrejas é muito mais influenciado politicamente do que o governo diz. Ele sinaliza para as igrejas que elas estão sob observação, assim como outras organizações sociais em Ruanda. Eu considero isso uma clara advertência".

Com três outras denominações cristãs nos Camarões emitindo agora um aviso similar, resta saber se o governo do presidente Biya lançará uma nova ofensiva contra o pentecostalismo no país.

 
Este site ou as suas ferramentas de terceiros utilizam cookies, que são necessários ao seu funcionamento e necessários para atingir os objetivos ilustrados na política de cookies. Ao clicar em "Aceito" você concorda com o uso de cookies.