Cantora japonesa muda do pop para o gospel

11/06/2018

/ by JC Design
Tomoka Takayama ex-cantora pop no Japão,conhecida como TiA obteve um contrato de gravação aos 16 anos. E lançou um single e um álbum quando tinha 17 anos e outro single aos 18 anos. Mas ela começou a se esgotar e, aos 27 anos, abandonou sua carreira.

 Ele se mudou para Manhattan, com a intenção de encontrar algo para fazer que não envolve-se a música, e alugou um apartamento no Harlem que pela reviravolta do destino, estava ao lado de uma igreja.

Foi através da parede, que a cantora usa um nome profissionalmente com a ortografia singular, titia, como fez no Japão podia ouvir o coro gospel de 12 vozes ensaiando na igreja durante a semana e cantar nos cultos da igreja aos domingos. A música comunicava a exuberância da exaltação, apoiada por guitarras elétricas, teclados e bateria.

O efeito foi magnético, e eventualmente ela entrou e pediu para se juntar ao coral, embora ele nunca tivesse cantado uma única nota de música gospel.

Isso foi há dois anos. Foi tão bom que ela participou de um recente concurso de música gospel em Nova Jersey.

"Cantando gospel, eu canto de coração", disse a cantora de 30 anos. "Quando eu estava cantando como uma estrela pop, eu tinha que fingir estar alegre. Com o evangelho, é natural".

Houve uma conexão de longa data entre o Japão e a música gospel. Curtis Farrow, que começou o concurso em Nova Jersey na década de 1980, disse que cerca de 15% dos 11 mil cantores que fizeram o teste eram japoneses ou coreanos.

"O Evangelho como uma forma de arte teve a imagem de que é apenas para a comunidade negra", disse ele. "Mas muitas pessoas diferentes entendem isso agora ... é sobre isso, ser inclusivo."

Os visitantes japoneses vêm migrando para o Harlem há anos, incluindo cantores atraídos pela música gospel afro-americana. Eles cantam as canções, aplaudem e balançam, embora a maioria não compartilhe as crenças religiosas dos cantores que imitam.

"Tornou-se moda porque nós vamos direto para o centro da alma", disse Vy Higginsen, que com seu marido, Ken Wydro escreveu a música e a letra de evangelho musical infundido "Mamãe, eu quero cantar".

Takayama não sabia disso quando entrou na Igreja da Comunidade Nova Esperança, mas o ministro, o reverendo Terrance L. Kennedy, conduziu oficinas de canto gospel no Japão desde os anos 90. Alguns renomados artistas evangélicos abriram o caminho: Mahalia Jackson fez uma turnê pelo Japão em 1971; "Mama, I Want to Sing(Mamãe, eu quero cantar)" foi apresentado em 11 cidades japonesas nos anos 80.

Takayama, que nasceu em Yokohama, sul de Tóquio, disse que ficou desiludida com a vida de cantora quando tinha cerca de 25 anos de idade.

Ela deixou a música pop depois de um show em 2014 e voou para Nova York sem nenhum motivo específico. "Poderia ter sido a Espanha. Poderia ter sido o Brasil ", disse ela.

Ela voltou para o Japão depois de uma semana, mas finalmente mudou-se de vez para o apartamento no Harlem.

"Eu não ia cantar", disse ela. "Eu não estava aqui para cantar. Mas o meu apartamento era próximo a igreja. As paredes vibravam ".

O som energético do evangelho me estimulou a começar a cantar novamente, não os arranjos poderosos do coro. "Eu não tinha certeza se podia cantar o evangelho porque eu não era religiosa", disse ela.

Kennedy disse que considerava Takayama como um presente: ele sabia cantar com uma voz vigorosa e poderosa em meio a ritmos insistentes. "TiA pode criar muito som", disse ele.

Kennedy e o coral planejam fazer uma turnê no Japão ainda este ano. TiA irá com eles, não apenas como cantora, mas como crente - quando eles estiverem lá, Kennedy disse que vai batizá-la.Com informações do Clarín

Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© all rights reserved
Feito com por JC Design