Nova onda de prisões e expulsões na China contra missionários coreanos

As novas regras de Xi Jinping contra a liberdade religiosa começam a dar frutos.

13/06/2018

/ by JC Design
As autoridades chinesas prenderam dois missionários sul-coreanos na cidade de Wenzhou no final de maio. A polícia revistou a igreja, que ficou fechada por uma semana.

Somente no mês passado, trinta pastores coreanos foram presos e levados à corte na região de Ningxia e nas províncias de Shanxi, Hebei e Henan.

Desde abril, o Departamento de Assuntos Religiosos intensifica os controles sobre religiosos estrangeiros. A perseguição é particularmente centrada em missionários da Coreia do Sul.

Medidas e relatórios de progresso foram publicados nos sites do governo chinês sobre as atividades dos cristãos coreanos na China.

Segundo o site Christian Today , existem cerca de 4.000 missionários sul-coreanos na China.

Mais de mil foram deportados entre 2013 e 2017, e pode haver mais por vir, uma vez que os novos regulamentos introduzidos em 1 de fevereiro de 2018 entrarão em pleno vigor.

Missionários sul-coreanos estão legalmente presentes em território chinês em vistos de estudantes ou turistas. No entanto, a maioria desses vistos não foi renovada ou aceita recentemente.

"As igrejas coreanas têm uma longa história de trabalho missionário na China ... mas o que temos visto nos últimos 18 meses a dois anos tem sido uma firme repressão por parte das autoridades chinesas sobre as atividades missionárias sul-coreanas na China", disse Rev. Eric Foley, CEO da Voz dos Mártires Coréia. "É uma história que não foi contada na China ou na Coréia."


Nenhum comentário

Postar um comentário

Não Perca
© all rights reserved
Feito com por JC Design