Skip to main content
Às vezes passamos por tribulações que são resultado de nossas próprias ações, do nosso egoísmo, orgulho, ganância ou luxúria. E aí, quando isso acontece e colhemos o resultado do nosso pecado, ficamos furiosos com Deus.

Mas Tiago 1:13-15 diz: "Quando alguém for tentado, jamais deverá dizer: 'Estou sendo tentado por Deus'. Pois Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça, sendo por esta arrastado e seduzido. Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz ao pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte."

Nós fortalecemos os elos de ações pequenas e comprometedoras e, antes de notarmos, uma enorme corrente está em volta de nós e não temos para quem pedir ajuda.

Eu costumava ganhar corridas do meu filho mais velho, Christopher. Anos atrás, porém, quando estávamos na praia, eu escolhi um lugar e falei: "Christopher, vou ganhar de você. Vamos correr até aquele lugar." Começamos e, para minha surpresa, ele ganhou. Eu pensei: como isso é possível? Eu segurei aquela criança em minhas mãos quando ela nasceu. Eu o vi crescer. Bem, ele cresceu. Eis o que aconteceu.

Da mesma forma, é isto o que acontece com o pecado. Achamos que podemos lidar com ele. Pensamos que é pequeno. Mas Tiago diz que quando o pecado está maduro, ele nos leva para a morte. Num dia desses, o pecado irá crescer e irá simplesmente vencer. Eis o que acontece.


Exibir Comentários

 
Gospel Times

follow us