Skip to main content

Conselho de Segurança da ONU condena o reconhecimento de Trump da soberania de Israel em Golan

O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniram na quarta-feira em uma reunião de emergência para discutir e condenar os EUA por recentemente reconhecerem a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã.

De acordo com a CBN News , a missão da Síria à ONU chamou a decisão do presidente Donald Trump de “flagrante violação das resoluções do Conselho de Segurança”.

Quatorze estados na reunião condenaram a decisão dos EUA.

Em 1967, Israel tomou as colinas de Golã da Síria. Ele foi anexado em 1981, mas logo após o Conselho de Segurança da ONU ter votado, dizendo em uma resolução que a reivindicação de soberania de Israel sobre a área era "nula e sem efeito legal internacional".

Então, na semana passada, o presidente Trump declarou que a área estava sob a soberania de Israel.

A Rússia também criticou a decisão na noite de quarta-feira.

"Se alguém sentir qualquer tentação de seguir esse pobre exemplo, nós os encorajaremos a abster-se dessa revisão agressiva da lei internacional", disse o vice-embaixador da Rússia, Vladimir Safronkov.

O embaixador da África do Sul na ONU, Jerry Matjila, disse que "esta ação unilateral não ajuda em nada a encontrar uma solução pacífica de longo prazo para o conflito no Oriente Médio".

O embaixador de Israel nas Nações Unidas Danny Danon, no entanto, disse que os EUA estavam certos em sua decisão.

"Já se passou um mês desde que o #UN discutiu os crimes de guerra de Assad contra o povo #Syrian. No entanto, levou menos de 24 horas para o #UNSC convocar uma reunião sobre o USUS reconhecendo a soberania de Israel sobre as Colinas de Golan. A guerra da Síria pode acabar. A soberania israelense permanecerá para sempre! " Danon twittou.
 
Gospel Times

Seguir

Contato

Esta Mensagem requer o aplicativo WhatsApp.

Enviar