Ir para o conteúdo principal

ISIS reivindica responsabilidade pelos atentados no domingo de Páscoa no Sri Lanka

O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelos ataques coordenados de atentados suicidas em toda a ilha do Sri Lanka, no sul da Ásia.

Segundo a ABC News , o grupo terrorista reivindicou pela primeira vez a responsabilidade pelo ataque através de sua agência de notícias Amaq na terça-feira. Em árabe, o grupo disse que os bombardeiros estavam "entre os combatentes do Estado Islâmico".

De acordo com o grupo de vigilância extremista SITE Intelligence Group, o ISIS identificou mais tarde os sete bombardeiros em uma declaração formal.

De acordo com a ABC News, várias fontes norte-americanas informaram sobre o incidente que acreditam que o Estado Islâmico pode de fato estar envolvido no ataque.

O primeiro-ministro do Sri Lanka, Ranil Wickremesinghe, também observou que o governo do Sri Lanka sabia que havia "ligações estrangeiras" com os atentados. Ele disse em uma conferência de imprensa: "Tudo o que sabíamos anteriormente é que havia ligações estrangeiras e que isso não poderia ter sido feito apenas localmente".

Ele continuou: "Houve treinamento feito e uma coordenação que nós [não] vimos antes."

De acordo com o ministro de Defesa do Sri Lanka, Ruwan Wijewardene, algumas autoridades foram informadas de que um ataque pode acontecer, mas a informação foi compartilhada apenas entre alguns, segundo os relatórios da Associated Press.

Wijewardene disse: “Até agora, foi estabelecido que as unidades de inteligência estavam cientes desse ataque e um grupo de pessoas responsáveis ​​foi informado sobre o ataque iminente. No entanto, essa informação circulou entre apenas alguns funcionários ”.

O presidente do Sri Lanka, Maithripala Sirisena, compartilhou em um discurso na terça-feira que ele mesmo não foi informado da inteligência conhecida sobre os ataques e prometeu tomar medidas "duras" contra os funcionários que não conseguiram passar adiante a informação.

Segundo a AP , Wijewardene também disse em um comunicado perante o parlamento que o governo tinha provas de que os bombardeios do Sri Lanka foram feitos em retaliação ao tiroteio na mesquita em Christchurch, Nova Zelândia, no mês passado. Nenhuma evidência foi apresentada para mostrar tal conexão.

Tópicos:    

Veja Também

 
Vídeo

Brasil

Brasil

Mundo

Mundo

Política

Política

Devocional

Devocional
Gospel Times

Seguir